O Ferrari 308 GTB foi lançado em Outubro de 1975, no Salão de Paris, e veio tomar o lugar do Dino 246 GT. Sob a direcção técnica de Angelo Bellei, esta primeira versão do 308 combina o châssis do 246GT e o motor do 308 GT4. O motor do tipo F106A caracteriza-se por ter lubrificação por carter seco (ao contrário das versões americanas que conservam o carter húmido),
Pela primeira vez um modelo Ferrari viu concebida a sua carroçaria num produto sintético, mas a partir de Março de 1977, a Scaglietti (que pertencia nesta altura à Ferrari) voltou à solução mais convencional do aço (a clientela americana nunca viu com bons olhos um Ferrari com carroçaria em material plástico, como um "vulgar" Chevrolet Corvette...)
Em Novembro de 1976 este Ferrari recebe a homologação em Grupo 4, e a primeira conversão do modelo de série  foi feita pelos milaneses Carlo e Giuliano Facetti, que usaram o #20457 e lhe alargaram as cavas das rodas (rivetadas à carroçaria) colocaram os obrigatórios elementos de segurança passiva, arco de segurança, extintores e cintos de segurança de competição, e a parte traseira da carroçaria surgiu desmontável para melhorar as intervenções mecânicas. A potência do motor F106A foi elevada a 320 CV às 8000 rpm, com um escape mais directo, e estava acoplado a uma caixa de velocidades especial, isto para além de ser colocada uma barra anti-rolamento reforçada, travões ventilados de maiores dimensões e com sistema duplo de travagem, da marca AP Lockheed. Este #20457 participou nas 24 Horas de Daytona de 1978, através dos pilotos Felice Besenzoni, Luciano Dal Beri e Byron Wever, tendo desistido. Carlo Facetti foi Campeão de Itália de Gr.4 (Circuito) com este 308 GTB. Facetti que construíu, juntamente com Martino Finoto, em 1979, e a partir do 308 GTB Gr4, o 308 GTB de Gr5, um automóvel que  seguia a formula silhueta da época, e que tinha uma carroçaria profundamente alterada e dispunha de um motor equipado com um turbo KKK com uma potência de cerca de 700 CV. Este Ferrari participou em algumas provas do Mundial de Marcas, em 1980 e 1981, tendo mesmo alcançado a pole position nos 1000 Km de Monza, embora não chegando a participar na corrida.
Chegou a existir uma tentativa da Ferrari de preparar um 308 GTB de Gr4 destinado às corridas de resistência. Foi uma experiência feita no châssis #22711, logo em 1976, quando este Ferrari fez alguns testes na pista de Fiorano (Setembro), estava pintado de vermelho e com faixas tricolores (vermelho/branco/verde).
Em 1978, Michellotto preparou um destes modelos para participar em ralis. Giuliano Michellotto era um concessionário da Ferrari na cidade de Pádua (perto de Modena) e já antes tinha ficado notado pela preparação de alguns Lancia Stratos, equipados como se sabe pelo motor Ferrari Dino 246. Esse 308 GTB de Gr4 #20951, tornou-se o primeiro destes modelos a ser preparado pelo italiano, e estava equipado com um motor de 315CV de potência máxima ás 8000 rpm, e uma injecção mecânica Kugelfischer. Foi pilotado por Roberto Liviero e Rafaelle Pinto e triunfou no Rali de Monza de 1979. Em 1980 este Ferrari foi vendido a "Nico" Grosoli (um amigo próximo de Enzo Ferrari), tendo em 1980 sido pilotado por Andruet no Rali Targa Florio. Andruet reportou a Daniel Marin (Charles Pozzi) a excelente impressão com que ficou deste Ferrari, e em 1981 a marca italiana incumbiu (sob influencia de Daniel Marin junto do próprio Enzo Ferrari) Giuliano Michellotto de preparar uma versão actualizada e oficial do 308 de Gr4. Ao contrário do projecto de Facetti, que se orientou para as corridas de resistência em circuito, este destinou-se a preparar um Ferrari para participar em Ralis. 
A carroçaria do 308 foi aligeirada, através da substituição dos capôts e das portas em aço por materiais compósitos. O motor foi modificado na alimentação, nas peças móveis e no sistema de escape. A caixa de velocidades viu serem-lhe retirados os sincronizadores.
O 1º exemplar construído por Michellotto desta nova versão de GR4 foi o #20951, e que foi adquirido por Roberto Liviero (em 1978) tendo uma carreira desportiva que se prolongou até ao Rali de Hunsruck de 1981, nesta altura este 308GTB pertencia à Charles Pozzi e foi pilotado nesta prova por Andruet/"Biche", que desistiram da prova devido a um acidente, por isto este 308 foi usado a partir desta altura unicamente como muleto. Para além do #20951 foram construídos mais dez unidades deste 308 GTB GR4 Michellotto: #19051, 19913, 26713, 21071, 20373, 31559, 08380, 31135, 18905 e 21883.
Em 1982, e com o advento do Grupo B, que agrupava os carros dos antigos GR4 e 5, e que tinha como limite mínimo para homologação as 200 unidades construídas (no Gr4 eram 400), Michellotto iniciou a preparação de um 308 GTB adaptado a estas regras. No entanto, esta missão não foi fácil, sobretudo para chegar ao limite mínimo de peso permitido (960 Kg), conseguiram chegar aos 980Kg tendo para isso Michellotto de recorrer à entretanto abandonada carroçaria em "Vetroresina" (que não se comercializava desde 1977). A homologação não foi fácil, e só conseguida depois de várias reuniões com a FIA.
Esta versão de Grupo B estava equipada com o novo motor de quatro válvulas por cilindro (F105AB) e foi substituída a injecção mecânica da Kugelfischer pela electrónica da Bosch., conseguindo dispor de cerca de 310Cv às 8000rpm. Foram substítuidas as jantes Campagnolo pelas Canonica R15. Foram construídos por Michellotto quatro unidades deste 308GTB de Grupo B, tendo o primeiro deles sido o #18869 (embora este primeiro exemplar não estivesse ainda equipado com as quatro válvulas por cilindro). Os seguintes produzidos foram: #18971, 22409 e 18847.
A experiência de Michellotto na preparação dos 308 GTB não terminou por aqui, tendo em 1982, e em acordo com a Ferrari, construído o 308 GT/M. Aqui o motor V8 de 3l 4V e 370Cv estava montado longitudinalmente. A carroçaria foi feita em fibra de carbono e kevlar e foi montada no châssis pela Auto Sport de Bastiglia (uma pequena cidade a norte de Modena). Depois de intensivos testes em Fiorano, o 1º destes Ferrari (#001) foi vendido a Jean Blaton ("Beurlys") que o usou em corridas nacionais quer na Bélgica quer na Holanda, e venceu todas as corridas em que participou. Curiosamente, na sua última corrida (organizada no âmbito da Ferrari Owners Club em 1986 em Zandvoort) este Ferrari venceu, tornado-se assim um Ferrari invicto. Foi construído em três unidades (#001,002 e 003).


Número de chassis construídos (1978/1985): Total de 15, todos Michelotto, entre o #08380 e o #31559



Principais características técnicas:

308GTB/Gr4

Estrutura: tubular
Carroçaria em material plástico
Motor: 8 cilindros em V a 90 graus
Cilindrada: 2926,9 cc (81x71mm)
Distribuição Quatro árvore de cames / Duas válvulas por cilindro
Injecção mecânica Kugelfischer
Potência: 320 CV às 8000 rpm
Disposição do motor: Posição central/transversal
Caixa de velocidades: Cinco relações + MA
Pneus: Frente: 230x15 Trás: 310x15
Distância entre eixos: 234cm
Peso: 990Kg
Velocidade máxima: 240 Km/h


_________________________________________________________________________

#26713

Este foi o quarto exemplar construído por Michellotto (Gr4), e foi vendido em 1981 à equipa Charles Pozzi. Estreou-se em competições na Volta à Córsega desse ano, com as cores da Entremont e com a equipa formada por Jean Claude Andruet e "Biche". Neste ano, conseguiram algumas vitórias em ralis, como o Rali Quatro Regiões, as 24 Horas de Ypres e a Volta a França. Neste ano Jean Claude Andruet e "Biche" foram os vencedores do Campeonato Francês de Ralis e vice-campeões do Campeonato Europeu. Jean-Claude Andruet e o Ferrari dominavam o Rali Vinho da Madeira (22 vitórias em 22 provas especiais de classificação) quando foram obrigados a abandonar devido ao facto de na assistência terem colocado inadvertidamente água no depósito do 308GTB. Falou-se na altura em possível sabotagem...

1981



Rali Vinho da Madeira 
(Campeonato da Europa de Ralis/Coef.3)
8 e 9 de Agosto
Jean Claude Anduet/"Biche" (nº2)
Desistiram
(Foto: Autor desconhecido)
______________________________________________________________________

#19913

Esta foi a terceira unidade produzida do 308 GTB de Gr4 Michellotto, tendo sido vendida a Roberto Liviero em 1980, que o utilizou durante a época de 1981. No final desta vendeu-o à equipa "Meneso", que disputou algumas provas em Itália. Em 1983 foi adquirido pela equipa "Pro Motorsport".

1981

Rali Vinho da Madeira
(Campeonato da Europa de Ralis/Coef.3)
8 e 9 de Agosto
Roberto Liviero/Marco Genovesi (nº8)
Desistiram
(Foto: Autor desconhecido)

_________________________________________________________________________

#19619


Trata-se de uma das várias preparações privadas dos 308GTB, aqui na versão de Grupo B. Foi feita pela Worswick Engineering em 1981 com a colaboração da Maranello Concessionaires de Ronnie Hoare. Trata-se do único 308 GTB de GrB com posto de condução à direita, e que foi usado por Tony Worswick no Campeonato da Europa de Ralis de 1982 a 1986. Worswick fez algumas alterações ao motor V8 e ás suspensões, embora usasse os amortecedores fornecidos pela Michellotto (Bilstein de magnésio).

1984


Rali Vinho da Madeira
(Campeonato da Europa de Ralis/Coef.4)
4 e 5 de Agosto
Tony Worswick/ Steve Newman (nº10)
Desistiram
(Foto: Carlos Alberto Moniz, via Marco Pestana)